web metrics





Este post contém propaganda, não leia




mm Uma das reclamações que vejo por aí em relação aos posts pagos é que ele afeta o conteúdo do blog. Sim e não. Existem, sim, blogs que literalmente abrem as pernas e publicam jabás descarados, abrindo mão do conteúdo que atraiu o rol de leitores que efetivamente possibilitou o tal post pago. Sem leitores, sem dinheiro. Não é difícil entender.

Por outro lado acho a visão de que se é propaganda é ruim muito simplista. Caceta, o YouTube está CHEIO de comerciais avidamente consumidos repassados, viralizados pelos leitores. Desde antes do Tubo, as pessoas já mandavam (para nossa inconveniência) anexos monstruosos com ASFs de 4MB com aquele “filme genial, banido, que você tem que ver”.

Ao mesmo tempo qualquer pesquisa vai mostrar que 112% das pessoas odeiam propaganda. Como conciliar esses dados com o fato de que essas mesmas pessoas consomem anúncios no YouTube e emails voluntariamente?

Fácil: Se é legal, não é propaganda. É conteúdo, é entretenimento.

Todo mundo ficava esperando os filmes da US Top para ver qual situação o Fernandinho e sua bonita camisa se meteriam, Carlinhos Moreno era sempre uma incógnita desejada no próximo comercial do BomBril. Na Inglaterra filmes da Guiness são ardentemente aguardados. Nos EUA boa parte da população anseia pelos comerciais do Superbowl, que custam US$3 milhões por 30s, só de veiculação.

As campanhas da Pepsi nos anos 80/90 eram maravilhosas, filmes com o Michael J. Fox, comerciais como o de Top Gun, o dos Astronautas… e a Coca-Cola? Época de Natal todo mundo fica esperando a hora de ver os ursinhos para fazer “ahhhnnnnn….”

Isso é tão propaganda quanto as Casas Bahia.

Uma das reivindicações da minoria chata que não aceita que blogs ganhem dinheiro é que os posts pagos sejam identificados “no começo, assim não preciso ler”. Eu me recuso a fazer isso. Terminantemente. A essência da propaganda é que pedimos “um minuto de sua atenção”. O cliente paga para ter uma oportunidade de exibir seu produto. Não queremos cliques, não pedimos cliques. Sequer PODEMOS pedir cliques. Aliás, não clique, exceto se for algo que te interesse muito.

O que não posso fazer, principalmente, é negar ao anunciante a oportunidade de ser visto. Eu não acredito que essa gente arranque os fones quando o rádio toca uma chamada para um supermercado, ou que fechem os olhos e saiam da sala a cada comercial na Sony, gritando da cozinha “já voltou ou ainda está no comercial?”. É um tipo de histeria que não existe no mundo real e não deveria existir na Internet.

Aqui vale o conteúdo. Se é um conteúdo inspirado em um jabá, não me interessa. Os posts da Mirian são excelentes, depois que ela encontrou seu formato ideal. Eu agradeço ao patrocinador por ter proporcionado um texto divertido. Ela colocar no alto do post “Este texto foi escrito para acompanhar a promoção do Lux Luxo – Sabonete das Blogueiras Ensaboadas” vai ajudar alguém? Só vai dar crédito a uma histeria que não existe, repito, criada por uma minoria absolutamente irrelevante e barulhenta.

Minha posição: Conteúdo bom é conteúdo bom. Se é pago ou não, não me interessa. TUDO que eu assisto na TV é pago, não sou ingênuo de pensar “que legal, House tem um iPhone”. Meu pensamento é: “Nossa, esse jabá rendeu uma cena excelente”. Ao contrário das novelas da Globo onde os personagens do nada resolvem ir ao caixa eletrônico e ficam elogiando o banco.

O bom conteúdo é a base da blogosfera. Quer ganhar dinheiro com post pago? Faça bom conteúdo, inclusive e especialmente se for pago pra isso. Tem considerações filosóficas, está de má-vontade, quer “ferrar o babaca que quer poluir seu blog”? Não faça. Não aceite. Não há nada de errado com isso. Só não sabote a ponte onde você está de pé.

De resto, a Marilyn Monroe tipográfica que ilustra este texto deixou de ser uma bela peça de arte só porque faz parte de uma campanha da Folha de São Paulo? Tenho muita pena de qualquer um que diga “sim”.

font-1  font-2



Leia Também:

Sobre o Post

Este post foi escrito em 08/10/2008 às 11:22 am

Está arquivado na(s) categoria(s) Monetização.

Você pode acompanhar os comentários via RSS 2.0.

Você pode fazer um comentário, ou trackback de seu próprio blog.



40 Respostas para “Este post contém propaganda, não leia”

  1. Belo Texto Cardoso. Realmente não vejo nada contra em colocar propaganda nos posts, desde que, claro, como você citou, seja conteúdo de qualidade. Meu blog é iniciante e confesso que estou aprendendo a lidar com isso agora, mas, se Deus quiser, um dia saberei como ganhar dinheiro com ele, fazendo o que gosto, e dando as pessoas conteúdo importante, de qualidade. Que lhe tragam algum valor.

    Forte abraço,
    Monthiel

  2. A minoria que você cita em seu texto, quando vem reclamar da publicidade nos blogs faz a reclamação anonima, ou deixa nome e url para fazer marketing de seus blogs?
    Esta minoria impede que você indique o blog delas na sua lista de favoritos pois esta atitude vai se caracterizar como propaganda?
    Eu acho que é pura demagogia, o cara não tem competência para fazer um conteúdo de qualidade e não atrai patrocínio então resolve jogar areia nos olhos dos que tem competência.
    "Quem não tem competência, não se estabelece!"
    Um abraço

  3. Isso aí. O resto é hipocrisia….

    Maysa

  4. Acho que você esqueceu de citar um ponto importante. Existem blogueiros que vinculam propagandas realmente interessantes e que além de promover o produto agradam seus leitores, mas existem também blogueiros que fazem propagandas de maneira a fazer seu leitor acreditar que ele usa realmente o serviço ou produto e que ele é maravilhoso.

    Sei que alguns blogueiros estão ai para ganhar dinheiro e ponto final, mas fazer um jaba de uma tekpix citando a maravilhas da "câmera digital" "mais vendida do Brasil" como se você realmente acreditasse no que esta postando é um desrespeito com os seus leitores.

    A politica do me lê quem quer é até valida se você for um mercenário caçador de paraquedistas (nada contra!), mas pode fazer você perder leitores fiéis se for um blogueiro sério e formador de opinião.

  5. Lucas Schirm em 08/10/2008 às 9:55 am

    Não sou blogueiro, mas concordo contigo, gosto de conteúdo gratuito e não ligo que tenha propagandas no meio, ou um post inteiro sobre produtos, é até bom saber que o conteúdo que esta sendo gerado por determinado blog que eu consumo esta sendo valorizado por grandes empresas.

    Parabéns pelo post.

  6. Na verdade, penso o seguinte: o problema não é o "post pago". O problema é "post-pago-mas-escondido-pra-parecer-conteúdo-original". Vide Jacaré Banguela, que abusa desse recurso.
    É tão mais simples e "honesto" botar um aviso no final do texto (veja bem, final, e não topo), como fazem o Papo de Homem e outros blogs: "Este artigo é patrocinado".
    Revistas e jornais colocam o "Este é um informe publicitário" no topo de artigos que podem ser confundidos com o conteúdo. A Globo bota um "plim-plim" nos intervalos. E a TV até começou uma nova moda, de registrar nos créditos de cada capítulo/episódio, o nome das empresas que fazem merchandising durante o programa. Por que com blogs a coisa tem que ser diferente?

  7. Eu não esqueci. Esses eu nem considero. É como o Morróida fazendo jabá de Passport, ele que arrota Blue Label o tempo todo. O cara que faz propaganda da TekPix dizendo que é boa vai morrer como formador de opinião E com isso sair do mercado. Darwin, não tem jeito.

  8. Exato. É um nível de transparência sadio, mas há pressão por parte de algumas agências para que não se divulgue a natureza jabazística da coisa. Infelizmente há blogueiro que concorda. Gostaria de saber se pedem para a Veja tirar o "informe publicitário" das propagandas com cara de artigo…

  9. Nem sei dizer por experiência própria, nosso último post publicitário nem sequer se deu a dignidade de ser pago…

    Mas a internet está um bocado cheia demais de gente escrota — e não excluo a possibilidade da minha inclusão –, e o fato de que tenho a impressão de que esse assunto já foi abordado mais de uma vez nesse blog confirma minha impressão: não adianta reclamar, a grande maioria não se interessa em mudar sua atitude por ser, digamos, escrota.

    No mais, ótimo texto, Cardoso. É ótimo verificar no Reader as atualizações do Contraditorium. =D

  10. O ponto chave já explicado é de comum acordo. Se o conteúdo é interessante, a propaganda vem a ser um atrativo.
    Agora por favor, tentar comparar os anúncios ou propaganda da Veja, Globo, Coca-Cola e outras, com anúncios de blog é no mínimo burrice. (Assim como falar que os textos da Miriam são "EXCELENTES")… por favor!!! Até parece que alguém vai ficar aguardando o próximo post-pago do blog do fulano ou ciclano.
    Do mais, acho que muitos blogueiros ficam irritados com jabá em blogs que tem poucas atualizações. Você está lá esperando o próximo post passados 15 dias do último e… jabá… Assim, sinceramente, nem com bom conteúdo.

  11. Falou tudo
    eu adoro Propagandas (bem feitas) eu adoro a propaganda da Havainas com o argentino na praia (nem imaginam né o porque), a propaganda da Sky onde o o cara manda o time pegar o juiz, como forma de intereação
    e bem lembrado as da coca cola, são obras
    então o que interessa é conteudo, por mim o conteudo sendo "bão" não me importa se foi patrocionado ou não, se tem jaba ou não
    e se voce está sendo pago para isso, mas mantendo sua linha, pra mim está otimo

  12. Eu acho estranho o pessoal que lê um blog, gosta do que o cara escreve, gosta do jeitão mas, quando aparece uma propaganda, fecha os olhos e boicota… Eu GOSTO quando vejo propaganda em alguns blogs porque, geralmente, é algo legal e que eu podia nem saber que existia, mas que vale a pena ter, ver, experimentar. Em alguns blogs, claro, em outros é só jabá puro e descarado, porque "ah, 'tão pagando". Se o dono do blog tiver um mínimo de bom senso, como você disse em posts anteriores, e se negar a fazer propaganda de algo ruim, algo sem-graça (Tekpix, alguém?), as propagandas viram até algo legal.

  13. Os posts pagos ajudam o blogueiro a ganhar o seu sustento e a continuar publicando. Sou totalmente a favor e não vejo problema nenhum em ler posts pagos, desde que seja algo que o blogueiro use ou recomende. É uma forma de mostrar produtos legais para seus leitores e ganhar uma graninha extra.

  14. Esse papo de propaganda em blog já deu o que tinha que dar. Vivemos num mundo capitalista, se de repente dá para ganhar alguma grana com blog, porque não?
    o

  15. Cara, acho que tem uma coisa que tá faltando ser dita. Muita gente ainda não digeriu a blogosfera. Acham que blogueiro é 'jornalista'. Ou que um blog deve ser 'imparcial' (não se assustem, isso é muito comum lá no blog que eu escrevo…). Alguns muitos leitores cobram 'imparcialidade', como se o blog fosse um jornalzin eletrônico de notícias. Em nosso blog também trabalhamos com clipagens diárias do mainstream, mas isso tá longe de fazer da gente um 'jornal'.

    Se de um mês pra cá (de acordo com o Alexa) o Acerto de Contas tá batendo o Contraditorium e o blog do Nassif em audiência, não é por isso que vamos usar do conto do vigário e tapear nossos leitores com essa balela de 'imparcialidade' que alguns aprenderam na faculdade de jornalysmus…

    Fato curioso: a gente declarou desde o início do processo de campanha eleitoral qual candidato iríamos "apoiar" nessas eleições (eu não, pq eu voto nulo mesmo, mas os "editores" do blog, eu não passo de um coloboradorzinho de língua solta…), e, isso curiosamente está provocando um mal-estar no estrômbago da imprensa local aqui em Pernambuco, que está pra ser estrangulada pela parte digamos "esclarecida" dos seus leitores (que a cada dia estão migrando mais para a blogosfera), por maquear suas preferências políticas.

    É aquela coisa: se não vai por boa vontade, vai pelas forças do mercado mesmo, na base do prejú nos bolsos.

    Quanto à propaganda em posts pagos, acho ótimo. Inclusive esse post tá muito bom. O diferencial é o que o Cardoso disse, "conteúdo bom é conteúdo bom", e príu. O "mercado" vai procurar dois agentes: (1) o que tiver audiência e (2) o que produzir bons conteúdos.

    O único "problema" que vejo, é relacionado com uma coisinha invisível chamada credibilidade. Nesse aspecto, talvez precisássemos um pouco de cuidado, pra que não confundam a blogosfera com o blog da Veja, ou qualquer um desses aí de grandes corporações.

    Cardoso, uma pergunta: será que teremos que "educar" de forma "teórica" os nossos leitores de que posts pagos podem ser "saudáveis" se forem bem elaborados, com bons conteúdos, para que nossa "credibilidade" não seja danificada?

    Ou será que essa "educação" vai ser por osmose mesmo, provando com a prática de producação de bons conteúdos?

  16. Vivian Martins em 08/10/2008 às 5:30 pm

    Concordo em partes com você.Acho realmente excelentes os textos da Miriam,mas não é por isso que deixo de me irritar quando ela passa dias e dias sem escrever um post e quando escreve é jabá.Deixa a impressão que ela só gosta de escrever quando lhe pagam.Mas não é por isso que vou deixar de ler o Substantivolátil,já que é um caso em que a qualidade de conteúdo supera as coisas que não gosto.

  17. "Eu não acredito que essa gente arranque os fones quando o rádio toca uma chamada para um supermercado, ou que fechem os olhos e saiam da sala a cada comercial na Sony, gritando da cozinha “já voltou ou ainda está no comercial?”. É um tipo de histeria que não existe no mundo real e não deveria existir na Internet."

    Esse é um dos problemas da tão falada falta de relevância da internet brasileira. A imensa maioria esmagadora das pessoas acha que internet é Casa Da Mãe Joana. E parte da culpa disso é da própria blogosfera. Para e pensa Cardoso, entre os 10 blogs mais visitados do país, quantos produzem conteúdo e quantos são "roteadores de conteúdo" (termo bonitinho para tradutor de post gringo) e de humor pão com manteiga.

  18. Concordo com o Cardoso, realmente a publicidade só precisa ter um nível sadio de transparência. Pegue o exemplo do Google: por que você acha que ele coloca o texto "links patrocinados" junto aos links de anunciantes do Ad Words. Porque soa mais bonito! Já teve algum Xiita que foi ao Google e pediu pra eles trocarem ao texto para: "links de propaganda e jabá, cuidado ao clicar aqui!".

    As pessoas precisam entender que o modelo de negócios default da Web é publicidade. Sem publicidade, um Google não pode se manter, um blogueiro não pode se manter. Todo mundo sai perdendo.

  19. Identificação de propaganda não é nenhum favor. Citando o Código de Defesa do Consumidor:

    "ART. 36 – A publicidade deve ser veiculada de tal forma que o consumidor, fácil e imediatamente, a identifique como tal."

  20. "Os posts da Mirian são excelentes, depois que ela encontrou seu formato ideal.". E eu que jurava que ela já tinha o "formato ideal" mesmo antes de ter um blog…

  21. Boa sorte tentando aplicar isso a blogs.

  22. Então quer dizer que nas novelas da Globo toda vez que a personagem fica segurando um frasco de maionese, mostrando o rótulo para a camera ela identifica para o telespectador que a cena é uma propaganda, e faz isoo de forma que o consumidor, fácil e imediatamente, a identifique como tal.”

    Eu acredito.

  23. Aviso acima do post eu já acho demais também, mas no final deveria ser realmente obrigatório. Não há nada de absurdo nisso, é só ver que o Papo de Homem faz isso e nem por isso deixa de ganhar cada vez mais leitores (e continua trabalhando com empresas GRANDES).

    Acho que o blogueiro tem que se valorizar também, se a agência fala que tem que ser escondido, ele não deveria aceitar, porque no final das contas é ele que está colocando sua credibilidade em risco, e não existe nada mais importante para um blogueiro sério do que sua credibilidade.

  24. Pergunta: O que manda no mundo?

    Resposta 1: Dinheiro.

  25. Resposta 2: Amor.

  26. hsahuhahsuahsuhasuhasuhahsuahsuhasuhaushaushuahsuahsuahs

    É verdade =P

  27. tudo na vida merece coerência na trato com as pessoas, ninguem gosta de sentir-se enganada ou invadida… portanto, certas propagandas são invasivas e chatas, mas como toda regra tem suas exceçôes, creio que algumas até me trouxeram bons resultados, cito com exemplo, um email que recebi a meses onde me convidavam para associar-me ao yakey.. muito bem elaborado, e que me convenceu e hoje estou ganhando uma graninha por conta disto… portanto, acho que deve-se ter sempre bom censo.. uma abraço e parabéns por este bom post

  28. Parabéns! Acredito que todos sabem aonde aperta o calo e devem arcar com suas decisões. Se a propaganda não incitar violência, racismo ou cigarro, qual o problema? Afinal, temos de pagar contas, ou não?
    Abraços

  29. Acho que faltou dizer só mais uma coisa. Não fazemos posts pagos. Não por não achar "correto" (que essa coisa de ser "antiético" é uma bobagem). O fato é que nossos rendimentos são muito baixos, pois o mercado não ajuda). Ganhamos um troquinho aqui, outro ali, fazendo banner de anúncios, e as mixarias do Adsense, que não dá nem pra comprar pão…
    Além de não dispor de tempo hábil pra fazer posts pagos (todos temos atividades paralelas ao blog), o interesse do próprio mercado ainda é baixo aqui (apesar de nossa audi~encia ser maior no eixo Rio-SP-BH).
    Pra ter idéia: um banner grande na página do Valor Online custa cerca de 15.000 Reais por dia. No Jornal do Commercio Online, custa cerca de 7.000 Reais por mês. No jornal impresso do JC, um anúncio de meia página é muito mais caro do que isso.
    Quero dizer que o mercado de anúncios online aqui em Pernambuco é um lixo, não tem valor algum. O mercado online daqui não cresce, porque não é o interesse dos próprios jornalões, que cobram ninharias por anúncios nos seus sites.
    Resultado: alguns desses jornais estão há anos dando prejuízo, e os caras não sabem o que fazer, pois vendem cada dia menos jornais impressos, e não querem valorizar o mercado online, por recear o crescimento do mercado independente dos blogs como o nosso, e também por não saber lidar com essa nova virtu-realidade da blogosfera.
    Voltando à questão dos posts pagos, acredito que os jornais online daqui os fazem de uma forma muito cretina (não por não declararem que o fazem, mas por serem feitos com conteúdos de péssima qualidade – sobretudo o pernambuco.com, que "suga" matérias-anúncio do globo.com -, em formato de notícias-pílulas sem a menor graça).
    É difícil a tão 'esperada' valorização desse mercado, por conta do travamento que as corporações de imprensa estão fazendo, e pela falta de interesse dos anunciantes cabeça-de-XIX…

  30. Resposta 3: Dinheiro, Amor e um Carro

  31. As "sutis" propagandas da globo são sinistras mesmo. Café da manhã à mesa, margarina cremosa, zero gordura etc. fica na cara a propaganda, tão na cara que dá raiva.

  32. Na minha visão sobre blogs, e não há um ser nesse mundo capaz de mudar essa minha visão, blogs são como revistas, em seus diversos formatos, mas, com a diferença de não ser escrita por "jornalistas" (raça inclusive que odeio), mas, escrita por colunistas.

    Onde a opinião sobre o assunto é o que mais importa, mas não só isso, através de sua opinião o blogueiro deve tentar levar informações ao leitor, de todas as formas possíveis.

    Quando um blogueiro faz um post patrocinado deve tentar ao máximo manter a sua opinião quanto ao assunto, mesmo que superficialmente, e não somente quando ele usa e conhece o produto completamente, na forma de levar uma nova informação ou um novo produto ao nosso leitor, e de uma forma que seja completamente de acordo com o blog, chegando a realmente se confundir com o conteúdo original do blog, uma vez que o trabalho do blogueiro seria de transformar esse texto em útil para leitor.

    Caso não consiga fazer isso, é melhor esquecer o post, afinal de contas, não dará retorno nem para o blogueiro e muito menos para o anunciante.

    Eu mesmo esses dias tentei fazer algo assim, um post sobre uma rede de relacionamentos, que não tinha idéia do que era, não tinha idéia do post que iria fazer, e só comecei o post quando realmente tive uma idéia que seria de acordo com o meu blog, caso contrário, teria que dispensar o trabalho.

    Esse post: http://coisasdehomem.hitechlive.com.br/2008/mulhe

    Blog vivem de publicidade, os que não estão de acordo com isso, que vá ler o UOL, TERRA e afins, que por acaso, possuem muito mais publicidade do que qualquer blog.

  33. Depois desse post resolvi testar a aceitação de um post pago devidamente criado para o blog, coloquei ele em votação no REC6, sem mendigar votos, é claro.

    Me surpreendeu o fato de votarem nela bem, até o presente momento no topo da categoria entretenimento.
    http://rec6.via6.com/link.php?action=show&url

    Isso prova que a minoria absoluta ainda tende a fazer todo esse MIMIMI com posts pagos.

    Desculpe pelos links nos comentários.

    Abração

  34. Caraca… faz tempo que não passo por aqui..

    Tranqilão Cardoso?

    Cara, sabe oque me irrita nessa história de post patrocinado? São os pitacos que os outros dão.

    Ora bolas, o Blog em seu estado normal não modulado como um site ou portal, é uma ferramenta para o autor escrever qualquer merda que lhe vier a cabeça.

    Cara, eu realmente não entendo como podem fazer tanto bafafá pelo simples fato de eu querer colocar um texto falando de uma porcaria qualquer que me paga para isso.

    E aonde esta a diferença dos Post pagos e dos anuncios do Adsense ?

    Claro que é possivel filtrar os anuncios que o Google envia mas a grande maioria desse povo mal sabe oque seria filtrar….

    Cara, essa historia de post pago ser certo ou errado já deveria ter ido para as cucuias a muito tempo…

    É isso…

    FALOW !

  35. Bom, eu troco de canal quando dá comercial…

  36. Bem lembrado. Quando a propaganda é divertida e tem um conte´do legal, não há problemas. Mas o tipo de propaganda usada nas novelas da Globo é ridículo, essa semana a mulher foi no Itaú e saiu do banco fazendo uma babação de ovo danada. Até parece que alguém faz isso, a propaganda da globo e algo tão forçado,parece que é coisa de amador.

  37. Eu só queria saber se em outros países o pessoal tem tanta birra com blogueiros que querem ganhar dinheiro?

    Ou será que essa birra só existe em terras tupiniquins, onde ganhar dinheiro é crime?

  38. “Nossa, esse jabá rendeu uma cena excelente”.

    Period.

  39. Concordo com você! Não há nada de mal em ganhar dinheiro com publicidade. Está mais do que certo alguém que tenha um bom conteúdo querer ganhar alguma graninha por algo que ele escreva.

    Claro que deve-se ter bom conteúdo e não transformar o blog em um classificado. Mas com anúncios aqui e ali, que não atrapalhem a leitura, não tem porque reclamar…

    Gostei do blog!

  40. […] a propaganda daqueles produtos estranhos no programa dela. Mesmo assim, neste ponto concordo com o Cardoso: para a propaganda ser boa no conteúdo ela deve passar despercebida na informação, como acontece […]

Regras: Comentários de clones serão apagados. Caso seu comentário contenha ofensas pessoais, textos todos em caixa-alta, palavrões desnecessários ou miguxês você poderá ter seu email e IP expostos publicamente. Anonimato não é um direito, é um privilégio. Use-o bem ou perca-o. Se quiser me xingar, seja criativo, assim há uma leve chance de seu comentário ser aprovado. Do contrário não gaste seu tempo.
As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do blog, algumas vezes mal refletem as do autor do comentário.

Faça seu comentário

Quem é Cardoso

Para saber mais sobre o autor deste blog, visite este link. Para enviar uma mensagem, clique aqui. Para anunciar, clique aqui.




Hey, você aí...

Colabore com o blog que você conhece e ama. Ou então com o contraditorium. Demonstre seu afeto da forma que todo mundo entende: Com dinheiro. Ei, se até Deus precisa dele, quem sou eu para discordar? Escolha sua doação:
Valor do Agrado

Jabá

O Contraditorium está hospedado no Bluehost, com transferência mensal ilimitada, espaço em disco ilimitado, domínios ilimitados, infinitos subdomínios, PHP, Ruby on Rails e todas as funcionalidades que você puder pensar. Quanto? US$6,95 / mês, quinze Reau, menos que uma pizza. Conheça o Bluehost, clique no link abaixo.