web metrics





Gays Tomando Tiro? Eu comemoro!




Ser gay nunca foi muito fácil, e nem falo de antes da invenção do KY,e em 1904. Vide a deplorável situação do grande Alan Turing, exposto como homossexual, tratado de sua DOENÇA, emasculado quimicamente e levado ao suicídio. Ganhar a 2a Guerra não era o suficiente, ele também tinha que cuspir no chão, coçar o saco e passar a mão na bunda da secretária.

De lá para cá só os grupos religiosos mais fanáticos (como o islamismo iraniano ou o cristianismo conservador do Bible Belt americano) consideram gays criaturas abomináveis, condenadas ao Inferno. Claro, todo mundo continua secretamente rejeitando a idéia de ter um filho boiola, mas conheço famílias bem conservadoras que simplesmente aceitaram o fato, e não explodiram a pobre criatura de plumas em milhares de pedaços.

soldiers

Um campo entretanto não mudou quase nada: As Forças Armadas. Aceitar mulheres já foi complicado. Tirando casos onde a sociedade é extremamente equilibrada (como os países nórdicos) ou onde há real necessidade (Israel) mulheres no máximo exercem funções burocráticas. Mesmo os EUA ainda relutam em colocar mulheres na linha de frente.

Gays então, nem atrás. (com trocadilho)

Durante décadas um soldado gay era expulso sem dó nem piedade, com desonra, escorraçado até pelos sujeitos que o comeram achando que isso não os tornaria igualmente gays (não é que pegue, você entendeu). O que não impediu milhares de gays de servirem nas forças armadas americanas, lutando e morrendo do lado de seus irmãos em armas.

Em 1993 o Presidente Clinton (é, o do charuto) instituiu a política “Don´t Ask, Don´t Tell”, (não pergunte, não fale) alterando a legislação que proibia a presença de gays nas forças armadas dos EUA. Com a nova diretriz o sujeito poderia servir sem ter que responder durante o recrutamento se era gay ou não, MAS qualquer declaração de orientação sexual seria punida.

Basicamente um gay poderia ser soldado se não revelasse nunca em momento algum de forma nenhuma que é gay. Do armário para o carro blindado.

A política é tão burra que causou danos irreparáveis, como a expulsão de 59 intérpretes de árabe no Iraque. Não por espionagem, mas por serem… gays. Os sujeitos eram adorados pelos colegas, se colocavam na linha de fogo, lutavam e morriam, mas independente da opinião da grande maioria que servia com eles, RUA!

Cumprindo uma promessa de campanha, Obama está finalmente revertendo isso, e a grande virada (epa!) veio via… Twitter.

O Almirante Mike Mullen, do Estado Maior das Forças Armadas postou dia 2:

donaskdontell

“Permitir que homossexuais sirvam abertamente é a coisa certa a fazer. Questão de integridade”. Isso foi histórico, inclusive pelo uso da ferramenta. (no bom sentido, cacete!)

Os críticos dizem que isso afeta a moral dos combatentes. 100% dos críticos NUNCA serviu em combate, não entende que o elo entre companheiros de trincheira vai muito além de opção sexual. Na Inglaterra soldados GLB coexistem abertamente, e não há sinal de danos à moral.

gay-pride-soldierAlias, que exemplo maior de que orientação sexual não tem efeito negativo em uma moderna força de combate do que as Forças Armadas Israelenses?

Desde 1993 homossexuais são abertamente aceitos nas IDFs (Israeli Defence Forces). Inclusive nas Forças Especiais. Qualquer tipo de discriminação no recrutamento, alocação, e promoção baseado em orientação sexual é proibido por Lei.

Em 2005 a Associação de Gays Lésbicas, Simpatizantes, Transexuais, Transgêneros, Transgênicos e o Diabo a Quatro de Israel foi incluída na lista de entidades filantrópicas para as quais um jovem pode prestar serviço, ao invés do Alistamento Obrigatório.

Não que usem como desculpa para fugir da caserna, o número de gays que se alista é cada vez maior. Dá até para entender. Se eu fosse gay e judeu (junte negro e argentino e temos uma piada pronta) a escolha seria clara: No melhor estilo Bastardos Inglórios COM PRAZER eu me alistaria para defender meu país e meus irmãos coloridos de inimigos declarados como o Irã, que executa publicamente jovens pelo terrível crime de serem gays.

Toda essa movimentação não é proselitismo. Nesse caso gays não querem segurar bandeiras, querem segurar armas. Querem que o país pelo qual estão dispostos a dar a vida lhes dê a liberdade de ser o que são.

Principalmente, e aí é a questão de integridade que o Almirante Mullen cita, deve ser feita JUSTIÇA, pois no modelo atual se um soldado que morreu heroicamente dando sua vida em combate para salvar seus irmãos morre, caso ele seja gay mesmo que tenha um relacionamento estável de anos, seu companheiro não será avisado pelos meios oficiais. Não participará do funeral, não ganhará uma palavra de alento, nem sequer terá direito a pensão, auxílio médico e outros benefícios dados aos outros soldados.

Até porque o coração pode ser rosa, mas o sangue é igualmente vermelho.

[ATUALIZAÇÃO]

Hoje, 18/11/2010 o Senado dos EUA votou pela rejeição do Don´t Ask Don´t Tell, a legislação que proibia gays de servirem abertamente nas forças armadas. O projeto seguirá para aprovação Presidencial e em 60 dias ganhará Força de Lei. Parabéns aos 65 senadores que votaram a favor.



Leia Também:

Sobre o Post

Este post foi escrito em 04/02/2010 às 2:49 pm

Está arquivado na(s) categoria(s) História.

Você pode acompanhar os comentários via RSS 2.0.

Você pode fazer um comentário, ou trackback de seu próprio blog.



62 Respostas para “Gays Tomando Tiro? Eu comemoro!”

  1. Um dos textos mais fodas que você já escreveu, Cardoso. Parabéns!

  2. Mais ou menos o que eu falei em meu post no NoGhetto, citando um personagem do filme Bubble: “Quando você está numa guerra, recebendo balas e bombas por todo os lados, ninguém quer saber com quem você vai para a cama. Eles querem saber é se você é forte o suficiente para ajudar a proteger a tropa. Se você faz o seu trabalho como deve, ser gay ou não é apenas um detalhe!”

  3. aletroperdna em 04/02/2010 às 12:03 pm

    Excelente post! Parabéns pelo texto.

  4. Gostei do trocadilho com o purple heart no final. Excelente.

  5. Felipe Rios em 04/02/2010 às 12:05 pm

    VERTENTE APOIADÍSSIMA!

  6. A opção sexual da pessoa só vem ao caso se você tem realções sexuais com ela. Do contrario é irrelevante se é hetero ou homossexual.

  7. Brilhante. Novamente, Penn and Teller bullshit feelings.

  8. Enquanto isso no Brasil, o General Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, que acabou de entrar no STM, diz que gays não são bem-vindos nas Forças Armadas, porque o trabalho não condiz com esse tipo de pessoa e que "a tropa não obedece normalmente indivíduos desse tipo".

    Gozado é que ele fala que o EB é coisa pra macho, que gay não tem capacidade de desempenhar a função, tratando-os como mocinhas, e se esquece que a corporação já admite mulheres como oficiais.

    Link da matéria que trás essas afirmações do general.
    http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1475838…

  9. Compartilho a opinião da Fabiane. Um dos melhores textos que você já escreveu. Invariavelmente seus textos são bons, mas esse matou à pau! (sem trocadilho)

  10. Muito bom mesmo o texto … é por isso que te acompanho no twitter …rs

  11. Cristiano em 04/02/2010 às 1:54 pm

    Excelente texto!

    A opção sexual não influência no resultado do seu trabalho (seja qual for). E ainda acredito, que seja um resultado muito melhor do que uma pessoa homofóbica!

  12. Parabéns, Cardoso! Concordo com o pessoal, um dos melhores textos que você já escreveu e uma das opiniões mais lúcidas sobre o tema também!

  13. Não sou homofóbico e não tenho nada contra os gays, tenho vários amigos inclusive. Mas olhando para o exemplo do time do São Paulo, fico cá com meus botões, tentando imaginar um exército com gays na sua tropa! Com toda certeza seria apelidada de tropa 24 !

  14. Se a tropa 24 ganhar tanto quanto o São Paulo, por que não?

  15. Ótimo texto, Cardoso! Só achei estranho que ocorreu nos Estados Unidos, que são um tanto conservadores (ou melhor, eram).

  16. Contraditorium is gay!

  17. Eu só discordo um pouco da opinião sobre o "Don't ask, don't tell". Pra mim, o propósito disso é lembrar justamente que discussões sobre sexualidade, DENTRO DAS FORÇAS ARMADAS, são (deveriam ser!) pontuais. Um quartel não é exatamente o lugar adequado pra se falar sobre o bofe da academia. Muito menos sobre as cocotas que cê pegou na balada do fim de semana!

    Agora, quando o milico está à paisana, ser impedido de falar sobre sua própria sexualidade vira censura, e desta forma compartilho meu repúdio à expulsão dos 59 intérpretes. Como disse o Reinaldo Azevedo recentemente, parece ser difícil considerar a sexualidade como uma questão privada.

    Enfim, muito bom texto.

  18. No pais do preconceito, onde seu sexo e sua cor são fatores que afetam o seu salário eu não esperava nada diferente…

  19. Essa texto foi homossexualmente fantástico.

  20. HAHA. Sério. O melhor são os adsenses que surgem com esse tipo de tema.

  21. Esse*

  22. Cara, do jeito que os americanos são doidos, acho que não vai fazer a menor diferença para eles ter gays no exercito, pois até os gays de lá devem gostar de uma guerrinha para libertar um pais ditatorial e trazer a democracia.

  23. Aii, como comemorar gays tomando tiro??? Vc é R-I-D-Í-C-U-L-O!!!

  24. Texto legal! :)

  25. Se fosse você o alvejado eu estaria soltando foguetes, BICHA BURRA!

  26. Ih o cara, meu….

  27. Fascinating!

  28. Parabéns Cardoso, excelente texto, caiu uma lágrima :p

  29. Boa tarde Cardoso,

    Muito bom o artigo, mas discordo em um ponto quanto à política de Clinton: tirando a parte da punição eu concordo com a política. Por um simples motivo: ninguém tem nada a ver com a sexualidade alheia! Assim como acho ridículo alguém ficar repetindo a todo momento "sou hetero, sou foda" (algo deste tipo) também acho ridículo alguém querer se impor com um "sou gay".

    O que acontece muito (acho que em qualquer lugar do mundo, não só no Brasil) é o que aconteceu com aqueles dois sargentos, que inclusive apareceram na televisão, eles foram punidos por suas ações (acho que você também comentou o caso, se não me engano) e não por serem gays, mas fizeram um estardalhaço. Do jeito que as coisas estão, vai ter muito superior com receio de punir os subordinados e isso seria o caos num lugar onde o respeito à hierarquia é tudo!

    A b… é sua(deles) você(eles) faz(em) o que quiser(em) com ela, mas não vem querendo impor sua condição desse jeito porque aí é que vai ter discriminação mesmo. Ou você acha que os soldados gays que existem na corporação são respeitados somente por serem gays?

    Não sei se me fiz entender, but…

    Abraços.

  30. Excelente texto!

  31. Sou gay e fiquei emocionado com o seu texto, assim como o link para o outro sobre o Turing, que eu não sabia que era gay e nem o que fizeram com ele, sou da área de computação e fiquei muito triste ao saber isso.

    Parabéns mais uma vez.

  32. Diógenes em 06/02/2010 às 2:27 pm

    Excelente post Cardoso !!! Parabéns !!!

  33. [...] no exército pode? [...]

  34. Perdoe-me, esqueci que o sarcasmo aqui é exclusividade sua, cabe a nós apenas apreciá-lo.

  35. Que sarcasmo? Não entendi o teu, Michel, juro. Foi tentativa de parecer salsinha?

  36. Gentinha estúpida essa que diz que não são homofóbicas mas não podem ver um gay servindo a pátria ou em qualquer serviço considerado "de macho" começam a escurraçar, falando que o mundo está virando bagunça, é mal exemplo, etm*. Tanto "macho" por aí escapando do exército.

  37. Michel, você é leitor de títulos ou é burro mesmo?

  38. Excelente post, Cardoso! Esse negócio de homofobia, racismo ou qualquer preconceito não tá com nada.

  39. Nossa! Parabéns, excelente texto ! esperamos que alguma autoridade de algum lugar, sei lá de onde e veja. É engraçado sempre vejo em blogs vários comentários homofóbicos, aqui não todos estão educados…

  40. Gays no Exército?

    Eu como gay assumido! Posso afirmar com certeza que no exército,pelo menos 70% do pessoal é Gay ou Bissessual!

    Servi o Exército no Sul Gaúcho por 1 ano e meio e lá vi muitos casos de homossexualidade! Isso Impediu de sermos soldados? Com Certeza não!

    Pois eu e outros companheiros também Gays…Sempre fomos os melhores de nossa corporação!

    Comandei a tropa e sabiam que eu era Gay…E me respeitavam e eu me dava ao respeito!

    Cardoso foi um dos melhores textos que escrevestes…Acompanho sempre seu Blog e agora com certeza irei acompanhar com mais frequencia!!!

    Abraçossssss

  41. Cara, esse papo de "não sou homofóbico, tenho vários amigos MAS (insira qualquer merda aqui)" é papo para inglês ver. Se você tem essa visão do São Paulo — o que não é crime, haja vista a renca merdiforme de torcedores de futebol terem esse tipo de opinião limitada — e teria essa visão de uma tropa com gays incluídos, você é um homofóbico enrustido, sim.

    Excelente a visão do Cardoso, texto lúcido, e que (in)felizmente faz com que os de opinião contrária façam como você: travistam o preconceito e o MEDO dos diferentes de opinião favorável com ressalvas.

  42. Ainda bem que o Cardoso não usa verde no tema do blog dele, ou teria gente comendo o monitor pensando que é comida. Né, Michel?

  43. Muito bom o texto, em boa hora devido a declarações vindas do já citado Raymundo Nonato. Agora, escrever disso é tão delicado que ateé os seus banners do Adsense fazem trocadilhos. Quando li o post, tinha um dizendo "visite Israel, você nunca mais será o mesmo".

  44. Giovane Heleno em 08/02/2010 às 6:59 am

    Estou de boca aberta…. parabéns pelo texto.

    Me supreendeu!

  45. Excelente texto, Cardoso.

    O Brasil precisa mudar muita coisa ainda.

  46. Dois pontos importantes que na verdade acho que são apenas um:

    1. O almirante chama os HOMOSSEXUAIS de HOMOSSEXUAIS, e não de GAYS.

    2. O coração deles com certeza tem a mesma coloração dos demais SERES HUMANOS, correto?

    Enfim, eu acho uma palhaçada confundir ORIENTAÇÃO SEXUAL com essa bizarrice de "Gay" (alegre???), travestís e afins. Eu acho, e espero de coração que os homossexuais possam ser tristes quando quiserem, e não sempre "Gays", possam ter coração cor de carne, e não somente cor-de-rosa e que possam servir ao exército de sua nação, inclusive.

  47. UM otimo texto, sincero e bem escrito, meus parabens!

  48. Seu melhor texto até hoje. Parabéns!

  49. Ou um país que não seja ditatorial, mas tenha petróleo, urânio, ferro, água ou qualquer outra coisa que eles (os americanos) estejam a cobiçar. (vide os livros de história – livros= aqueles maços de papel impresso costurados pela borda, que servem para ler.).

  50. Discordo dessa porcentagem. Achei um exagero.

  51. Muito bom o post, Cardoso.

    Bem esclarecedor. Nada tenho contra os gays e inclusive tenho amigos gays em algumas áreas em que trabalho. Nada deixam a desejar quanto à eficiência, e não vivem soltando franga e esfregando a gayzisse na cara dos outros.

    Também gostei da parte em que você diz: …Se eu fosse gay e judeu…

    É bom saber que você é imparcial nessa questão.

  52. Pode ser para inglês ver, mas e daí? Que vejam. Mas eu posso te apresentar meus amigos, tá interessado? Além disso, sou torcedor fanático do São Paulo! Valeuuu!

  53. Crescer internamente, e não só para os lados, está interessado?

    Se teus amigos tiverem a mentalidade parecida com a tua, dispenso. Se forem a parte boa do teu convívio social, independente de sexo, credo, orientação sexual ou o que for, faço questão: adoro conhecer gente inteligente.

  54. Fictício em 15/02/2010 às 9:52 am

    Cardoso, vc se superou novamente neste post, sem palavras… Olha, não quero levantar nenhuma bandeira , por eu mesmo ser gay, mas o ingresso de Gays no Exército é mais uma das batalhas à serem conquistadas pelo meio GLBT , que ao meu ver está passando pelas mesmas transformações e emansipações que a mulher na metade do século passado (nossa, já faz tempo hein)… nada mais justo, pois em pleno 2010, num mundo beirando à total globalização e modernização, onde temos religioões, culturas e "raças" para todos os gostos, é inaceitável tais repressões e discriminações , que são cada vez mais hipócritas…

    (ah e está sendo bem divertido observar sua opinião à respeito, seus posts ultimamentes estão salpicados de rosa chiclete hehehe)

  55. Ahah!

    Gostei da sua colocação.

    Cardoso está mudando.

  56. Parabéns, Cardoso! belo post

    Marcia

  57. Cara, que texto!

    Você tem inspirado muita gente, eu inclusive.

    Além disso você tem nos ajudado muito, com sua experiência, dando conselhos em outros posts.

    Obrigado e parabéns!!!

  58. Cardoso, eu não esperava menos de um trekker DE VERDADE feito você. Esse texto é muito mais útil socialmente do que muita nãotícia que costumamos ler sobre homossexuais.

    Sabemos, porém, que sangue de klingon também é rosa. (Hm, pensando bem, todas aquelas roupinhas de couro e guerreiros festejando com bloodwine devem ter alguma ligação.)

  59. Não esqueça de Ryker naquele planeta assexuado… Ele nunca me enganou.

  60. Excelente texto, e quando vi o titulo inicialmente fiquei revoltado!!

    Abraços

  61. muito bom texto, mas…
    continuo odiando os gay's [MORRE DIABO!]
    kkkkk'

  62. Ai como você é burra!!

Regras: Comentários de clones serão apagados. Caso seu comentário contenha ofensas pessoais, textos todos em caixa-alta, palavrões desnecessários ou miguxês você poderá ter seu email e IP expostos publicamente. Anonimato não é um direito, é um privilégio. Use-o bem ou perca-o. Se quiser me xingar, seja criativo, assim há uma leve chance de seu comentário ser aprovado. Do contrário não gaste seu tempo.
As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do blog, algumas vezes mal refletem as do autor do comentário.

Faça seu comentário

Quem é Cardoso

Para saber mais sobre o autor deste blog, visite este link. Para enviar uma mensagem, clique aqui. Para anunciar, clique aqui.




Hey, você aí...

Colabore com o blog que você conhece e ama. Ou então com o contraditorium. Demonstre seu afeto da forma que todo mundo entende: Com dinheiro. Ei, se até Deus precisa dele, quem sou eu para discordar? Escolha sua doação:
Valor do Agrado

Jabá

O Contraditorium está hospedado no Bluehost, com transferência mensal ilimitada, espaço em disco ilimitado, domínios ilimitados, infinitos subdomínios, PHP, Ruby on Rails e todas as funcionalidades que você puder pensar. Quanto? US$6,95 / mês, quinze Reau, menos que uma pizza. Conheça o Bluehost, clique no link abaixo.