Hora do Planeta, e viva aquela franga de Pandora

captain-planet

Com o advento da Revolução Verde de Norman Bourlaug e o crescimento do pós-guerra surgiu uma Classe Média mundial com tempo ocioso suficiente para ocupar a cabeça com bobagem. Isso explica toda a papagaiada new age que virou moda dos anos 60 pra cá.

Antigamente Ecologista era um termo respeitado. Aliás chamávamos de Naturalista, Cientista. Hoje qualquer idiota bota uma ecobag no ombro, calça uma sandália franciscano, camiseta do Che e se diz ecologista, mas apresentam um conhecimento constrangedoramente superficial do planeta.

treehugger9lm Outro dia um no Twitter me acusava de coisas horrorosas por ser carnívoro, ao mesmo tempo defendia a linda e sábia Natureza, onde os bichos não se aproveitavam uns dos outros, vivendo em harmonia. Claro, nesse mundinho maravilhoso não existem formigas que invadem colônias de outras espécies, roubam pupas e as transformam em formigas escravas. Só o malvado bicho-homem faz isso..

A PRETENSÃO desse pessoal não tem limites, se acham melhores ou em pé de igualdade a gente como Margareth Mee, Sir David Attenborough ou Carl Sagan, que no começo dos Anos 80 já falava de aquecimento global na Série Cosmos.

Quem cresceu ENTENDENDO a mensagem desses caras é a favor de preservação E de progresso, é gente que colabora muito mais comprando uma geladeira mais cara mas mais econômica, é gente que usa o microondas por saber que ele consome energia de fonte renovável, ao contrário do mais “natural” fogão a gás. Gente que troca o monitor e a TV de tubo por LCD, jogando o consumo lá pro chão.

Ao contrário de cientistas de verdade, os ecochatos adoram soluções rápidas e inócuas. Troque sacola de plástico por ecobag. OK. Primeiro, plástico é reciclável. Segundo, o custo individual de produção de uma “ecobag” é muito maior. Terceiro, ir todo dia ao mercado com a ecobag consome MUITO mais recursos do que ir uma vez por mês e fazer uma compra só.

Mimimi energia eólica. É lindo, né? Já chegou perto de um moinho daqueles? Faz BARULHO, MUITO barulho. Mata pássaros e morcegos. Outro problema: Os ventos estão diminuindo. Sim, o padrão mundial mudou e estão mais fracos. Sabem a origem? REFLORESTAMENTO. O Hemisfério Norte, principalmente os EUA estão ganhando muita área verde. A eficiência dos moinhos de vento não é mais a mesma.

treehugger Buraco do Ozônio: Fechou. Iria destruir o mundo, acabou morrendo sozinho. Culpa? Aquecimento Global. Durma com um barulho desses.

A Terra é um sistema muito, muito, muito mais complexo do que esse mundo de teletubbies da cabeça dos ecochatos, e o que NÃO precisamos é de ações precipitadas. TODOS, TODOS os casos onde ecochatos se meteram só pioraram a situação, seja introduzindo espécies alienígenas seja convencendo governos a não utilizarem técnicas modernas de agricultura.

A culpa burguesa aliada à falta do que fazer encontrou um terreno muito adubado nas “causas ecológicas”. Junte a isso um monte de sub-celebridades desesperadas por mídia, e temos toneladas de “manifestações” de gente que fica o dia inteiro com o computador ligado piranhando na Internet, mas se sente extremamente superior porque vai apagar uma porra de uma lâmpada por 1h amanhã.

Essa palhaçada de hora do planeta não serve para absolutamente NADA, por mais que os ecochatos adorem dizer que estão “conscientizando” a população. Os Governos adotam pelo velho dueto Pão e Circo, Gestos Vazios são o feijão com arroz da Política desde Roma. Mas os ecochatos acham que realmente estão fazendo diferença.

Fora encher o saco dos outros, desacreditar quem estuda Ciências Naturais a sério e promover um estilo de vida que não teria nos tirado das cavernas, não fazem mais nada de útil.

Então, já que o objetivo é promover gestos vazios e inúteis, farei o meu também.

Amanhã durante a Hora do Planeta estarei transmitindo via Streaming um vídeo feito com o material abaixo:

DSC04056

Isso mesmo: Acenderei uma lâmpada incandescente por 1h, com o único propósito de gastar energia. E que se danem as foquinhas albinas da Patagônia Setentrional.

De resto, tudo que tenho a dizer já foi dito e melhor por George Carlin, neste vídeo aqui.



Leia Também:

  • rodrigot

    Vc tem o que? 15 anos?

    • Pelo visto você tem 18 anos,senão entendeu a mensagem não implica…

  • O pior é ver gente que não faz absolutamente nada, como por exemplo a manutenção básica do carro que usa encher o teu pacová porque você não vai aderir a "causa".

  • pena que os que deveriam ler isto naõ lerão. Contudo, falou boa parte do assunto

    qualquer ecochato pode entender mesmo tendo 2 capins crescendo na cabeça.

  • Tem muita gente que fica tuitando as tags dos TTs o dia todo pra aparecer, inclusive a tal horadoplaneta… ou seja, gastando luz.

    O mundo deve estar pensando, quem eu vou matar hj?

  • Prevejo ecochatos "revoltados" com a sua "maldade" para com as foquinhas.

  • KKkkkkk 1h de video lâmpada incandescente… Yeah! Vem mais mae, vem pai … tem luz ali na hora do planeta… vamos nos aquecer…

    valeu Cardoso… aUHAUHuahAUH

  • Luiza

    Não podia concordar mais. Eu admito que não sei muito sobre o assunto mas sei que muitos que entram nessa onda de ecologia sabem muito menos. Você já viu um documentário feito por um canal britânico acabando com todas essas nossas idéias sobre aquecimento global? ( http://www.youtube.com/watch?v=RDzuXPM1W3k&fe… ) As pessoas aceitam tudo que elas escutam e transformam em dogmas.

  • Ah, sério mesmo? Tudo bem não querer participar nem concordar com o evento, mas colaborar propositalmente para piorar a situação do gasto de energia? Será mesmo uma atitude inteligente?

    Ou será mais um daqueles casos de ironia?

  • @rhobsonv

    Então, só faltou dizer o estrago q esse povo pode fazer nas linhas de transmissão quando for religar tudo depois que acabar a "hora do planeta".

    Extrapolando seria algo assim:

    "

    Uma sobrecarga, um fio superaquecido, um fio rompido, um incêncio, uma floresta a menos. Onde está seu deus agora, ecochatos do #$¨**@#$¨?

    "

    ;D

  • Tb não entendo muito isso de apagar uma lâmpada por uma hora, sendo que depois irá acendê-la novamente e continuar consumindo energia. Me parece aquelas atitudes de "bem-estar": você faz, se sente bem e com o dever cumprido, e depois de aplacar a consciência, nunca mais pensa nisso.

    E nem dá para levar a sério gente que usa a INTERNET para pregar retrocesso tecnológico. Que comam brioches.

  • gutokiske

    Cardoso, quando eu crescer quero ser igual a você. :)

    Parabéns pelo belo texto, abraço!

  • Adoro! Bom demais! LINKEI!

  • Sua opinião está muito acertada, mas cuidado com os fatos que vc citou. Há modelos científicos muito bons falando sobre o caso da energia eólica. E, por exemplo, o plástico de sacolas de mercado não é reciclável. O material é frágil demais pra ser aproveitado.

    Ecochato é uma desgraça, mas temos que tomar cuidado com o que afirmamos.

    • SIm, os mesmos modelos mostram que a eficiência dos geradores eólicos está bem aquem da originalmente projetada. Quanto às sacolas, sacos de lixo são feitos do mesmo material. Qual a sugestão, banir saco de lixo também?

      • Rafael Giusti

        Esqueça a energia eólica. Foi um investimento que não deu o resultado que se esperava. Acontece com toda tecnologia. Esqueça também os ingênuos que continuam achando que a energia eólica vai salvar o mundo. O importante é apoiar quem tem disposição a investir em pesquisas sérias para gerar energia "limpa".

  • Rafael Giusti

    Sinceramente, não entendo esse mimimi todo. E não estou falando dos ecochatos, não. Tô falando dos ecochatos-chatos, aqueles que querem o tempo todo criticar os ecochatos até pelas coisas mais insignificantes que fazem ou que agora acham que twittar #horadoplaneta é atestado de burrice.

    Vou apagar as luzes amanhã, sim, por mais inócuo que pareça. Não tenho delírios de salvar o múndo, nem tenho a pretensão de que algo tão ridiculamente simples vai bastar pra conscientizar toda a minha vizinhança a reciclar alumínio, reutilizar embalagens de sorvete e instalar painéis solares pra esquentar a água do banho. Mesmo assim vou dedicar uma hora do meu dia amanhã a alguma coisa mais importante que a novela diária da sociedade humana, nem que seja só pra esquecer a merda do planeta e ir olhar as estrelas.

    Por trás de toda a hipocrisia, ignorância, politicagem e exploração comercial que muita gente associa à Hora do Planeta, existe uma mensagem séria que poderia ser divulgada. Foda que tanta gente prefira aproveitar esse evento pra fazer mimimi (o que é irônico, aliás) em vez de se concentrar em apontar o que de sério pode ser tirado disso.

    • Roberto

      Você podia gastar essa uma hora planejando uma nova fonte de energia limpa e produtiva. Ah é, é muito mais fácil apagar a luz, né?

      • Rafael Giusti

        Roberto, eu trabalho com inteligência artificial, não sou engeheiro. Portanto, não posso produzir energia limpa e renovável no momento. Mas fique tranquilo, pois eu lhe asseguro que a penumbra que eu vou produzir amanhã não vai atrapalhar nenhum cientista.

        • Roberto

          E nem ajudar. Fico imaginando o caos que seria se muita gente se simpatizasse com essa abobrinha e sobrecarregassem toda a infraestrutura elétrica, seria lindo.

      • Eu já pensei em uma! Uma termoelétrica movida a eco-chatos. A tecnologia já está mais que desenvolvida, trazemos uns especialistas alemães (na Argentina tem alguns aposentados) e montamos os fornos. Cada ecochato pode gerar 1.21MW/h de energia.

        • Darko

          Cardoso, a Terra se vingará de você por esse texto!

          Eu não só participo da Hora do Planeta como também incentivo todos a fazê-lo. Mais ainda, incentivo todos a sincronizarem os relógios dos seus computadores com um daqueles servidores de horário ligados a relógios atômicos ultra-precisos. Apagaremos não uma, mas todas as lâmpadas *exatamente* na hora marcada e religaremos *exatamente* uma hora depois. Com a participação geral e o um bom sincronismo dos relógios, o mundo economizará *muita* energia nas semanas que se seguirem!

          Talvez haja alguns efeitos colaterais — transformadores explodindo, incêndios em florestas próximas a linhas de transmissão, etc. mas isso é culpa sociedade capitalista que insiste em coisas como educação, saneamento, medicina, transporte…

        • Rafael Giusti

          Pô, Cardoso… que foda. Eu sei que tem babaca te surubando 24 horas por dia porque você come carne e não vai desligar seu Mac amanhã, mas nem todo mundo que apoia a Hora do Planeta é um ecochato.

          Se de cada cem pessoas que desligarem as luzes amanhã, *uma* entender que as ações sustentáveis devem e podem ser feitas também nos outros 364 dias do ano, então a Hora do Planeta serviu pra alguma coisa.

          Legal você apontar a incoerência de quem acha que desligar as luzes amanhã é suficiente e compensa todo o desperdício do resto do ano. Mas ridicularizar quem realmente tem consciência ecológica e vai aderir ao gesto simólico de amanhã não me parece legal. E você simplesmente colocou todo mundo no mesmo saco.

          • err… e se 1 em cada 100 ANO PASSADO tivesse entendido que ações sustentáveis devem e podem ser feitas também nos outros 364 dias do ano? NÂO ENTENDERAM. Sorry.

        • "Uma termoelétrica movida a eco-chatos". Visionário! São ideias inovadoras como essa que realmente vão salvar o planeta!

    • Joãozinho

      "(o que é irônico, aliás)"

      a grande ironia pra mim, é quando escrevem "múndo", querendo dar uma de letrado.

      santa paciência batman

      • Rafael Giusti

        Não estou querendo dar uma de letrado. Eu *sou* letrado, sou inteligente, sou consideravelmente informado e sei disso.

        • Fabiano Martins

          Esqueceu de dizer que é humilde também.

  • É algo complicado para se falar! Prefiro não comentar, já que a maioria das minhas respostas estão listadas no texto e em "alguns" comentários

  • Muito em dito. Pessoalmente, vejo essa onda ecológica como parte do processo de conscientização quanto à necessidade de mudarmos nosso estilo de vida. Não para o bem do planeta, mas pelo o nosso próprio. A vida persistirá de uma maneira ou de outra, com ou sem a gente. Os tais "ecochatos" com os excessos e tudo mais são apenas parte do debate.

  • Milena

    O pior é q depois da hora do planeta vários ecochatos vão passar 1,5 no banho antes de ir pra balada. Ao invés de economizar 1 hora de energia por ano, prefiro atitudes que eu acho q tem mais efeito como o hábito de não deixar luzes acesas sem necessidade, fechar a torneira ao escovar os dentes e separar lixo reciclável por exemplo.

  • Boa mesmo, amanhã vou deixar três lampadas do meu quarto ligado, além do meu desktop, meu macbook e o ipod, vou ligar meu n70 na tomada pra variar.

  • nanah

    Eu quase não concordo contigo e até brinco com sua popularidade, mas tenho que concordar. Ô coisinha chata esse lance de aquecimento e do povo mandando apagar a luz por uma hora. A pergunta que não quer calar é: Será que o aquecimento global aumentou pq não tinha ecobags há uns 20 anos?

  • Eduardo De Bastiani

    Logo que comecei a ler o texto lembrei do George Carlin e seu excelente "Save the Planet", mas você já linkou no final. Post excelente, bem informativo. É uma pena que quem deveria estar lendo isso está bem longe desse tipo de blog.

  • Pingback: HORA DO PLANETA | Balbúrdia SA()

  • Henrique

    Também me lembrei do excelente George Carlin e "Save the Planet", muito bom o texto. Não adianta toda essa conscientização que não faz o menor sentido, temos que ajudar como podemos, e parar de comer animais entre outros atos escrotos "pelo meio ambiente" é ridículo demais.

    No mais "Acenderei uma lâmpada incandescente por 1h, com o único propósito de gastar energia. E que se danem as foquinhas albinas da Patagônia Setentrional."

    Já valeu o texto todo XD

  • Eduardo Duque

    É isso aí. Cardoso mata a cobra e mostra o pau….e a cobra :)

  • Bruno

    É a primeira vez que eu posto aqui, mas venho lendo o blog já faz um tempo.

    Então, achei o texto precisamente cirurgico, no ponto – até me identifiquei com ele no sentido da falta de informação dos ecochatos ao redor.

    Falta de informação, dados que não batem com estudos de outras pessoas… acho esse o maior perigo que se pode ter. É só falar uma besteira qualquer e se é difundido para a massa – como naquele caso, apresentado em outro post, que falava do clima do rio e do deserto do saara.

    Legal o texto, parabéns Cardoso

  • Nailson (@nailson)

    Boa Cardoso!

    É solução inteligente q vai resolver o problema! LCD's no lugar de tubos, alimentos transgênicos resistentes a pragas e a solo ruim, Energia nuclear no lugar de usinas megalomaniacas e linhões beberrões.

    E George Carlin disse tudo: "O Planeta tá uma maravilha! nunca esteve melhor, Nós é que estamos ferrados.

  • Frattari

    Parabéns por sua nobre atitude. Vou unir-me a causa e fazer minha parte assistindo sua transmissão na integra, em quatro computadores, dois deles com monitor CRT. Depois vou tomar um banho "pelando" de quente, bem demorado. Mas não se preocupe… vou fazer xixi embaixo do chuveiro. VAI PLANETA!

  • Pedro Júnior

    Concordo que existe pilhas de semi-selebridades desesperedas por midia por ai, elas fedem, e toranam toda uma classe podre, é como a história do suco de laranja, se tiver uma laranja podre, o suco todo fica podre.

    Muito injustas suas ponderações sobre a maioria das pessoas que vocÊ carinhosamente denomina "ecochatos", inclusive comigo, eu não me exponho em mídia e nem nada, mas eu deixo sim de comprar pepel branco por papel reciclado, não consumo mais tantas garrafas pet, nem sacolas plásticas.

    Cara, ninguém precisa casar com uma arvore ou adotar um filhote de alguma espécie em extinção pra se tornar mais ecológico.

    UM UNICO EXEMPLO QUE TODOS PODEM FAZER, NÃO AMASSE PAPEL, isso coloque papel no lixo rasgado ou picoteado, mas não o amasse, ELE TERÁ 80% A MAIS de valor agregado e reduzira 60% os custos de sua reciclagem.

    Ninguém precisa ser um ecochato, com pequenas buscas no google vocÊ descobre exemplo bem simples para praticar.

    TRÊS COISA:

    1 – Criticar toda uma classe em função de meia duzia de "semi-celebridades desesperadas por midia" é burrice. Se esta chateado com alguém trate diretamente com esta pessoa.

    2 – Seja mais ecológico cara, não custa nada, siga apenas o exemplo de não amassar pepel, pronto, você ja é mais ecológico do que antes, não precisa se promover nem se achar melhor porque você sabe disso, eu não me acho assim e mesmo assim primo pelo planeta…

    3 – ESSE FOI O TEXTO MAIS INFANTIL E BIRRENTO QUE EU JA LI AQUI… Parece que você queria transmitir a menssagem para alguém, e acabou ofendendo toda uma classe por isso, ja disse, burrice…

    SDS. Pedro Júnior (dica: seus textos no meio bit tem sido melhores do que aqui…)

    • > err… e se 1 em cada 100 ANO PASSADO tivesse entendido que ações

      > sustentáveis devem e podem ser feitas também nos outros

      > 364 dias do ano? NÂO ENTENDERAM. Sorry.

      É claro que "1 em cada 100" foi uma forma de me expressar. Eu não fiz nenhum estudo estatístico para avaliar o impacto do movimento. Mas acho bem seguro dizer que você também não fez. Então a questão aqui é: será que você tem autoridade pra dizer que o movimento não serviu pra ninguém? Ou que não valeu a pena?

      Eu tenho certeza que valeu alguma coisa. Eu, pelo menso, me incluio entre os que aproveitaram a Hora do Planeta no ano passado. Não que isso justifique gastar todo o recurso que se gasta para promover o evento. Eu sei que tem uma movimentação violenta em torno dessa mídia, inclusive tenho a consciência de que os gastos podem superar o que se economiza apagando luzes. Mas gasto com mídia se faz todo dia! Será que não tem mesmo *nenhuma* utilidade em se explorar de forma legal um gasto com mídia cujo objetivo é tentar promover conscientização ecológica?

      Tudo o que eu estou falando desde o começo é que colocar no mesmo saco ecochatos, hipócritas, tolos manipulados e pessoas conscintes é uma sacanagem. Chamar no twitter todo mundo que apaga as luzes de idiota também é sacanagem. Tô tão errado assim?

      • PS: não sei por que escrevi como reply para o Pedro. Foi acidental. Era para ser um comentário novo, já que não dá pra replicar mais no seu comentário.

    • darko

      Eu parei de ler no "selebridades". Desculpe.

    • jrventurim

      "selebridades", "toranam", "pepel branco", "três coisa", "midia", "pepel" (de novo), "menssagem".

      Pronto, me convenceu. Realmente, é burriche criticar a inteligência de ecochatos como você.

      • jrventurim

        OMG … escrevi "burriche", será contagioso? Virei um ecochato?

      • hahahhaaha viu? É contagioso!

    • Pedro Júnior, acho que você não entendeu o texto. O Cardoso não está criticando quem toma essas atitudes de "ecochato", o que o Cardoso critica é o pessoal que acha que essa idiotice de hora do planeta serve para alguma coisa. O que o Cardoso critica é o pessoal que participa dessa bobagem (burguesinhos, pseudopolitizadinhos, "ecologistas", subcelebridades, classe mérdia, revoltadinhos, rebeldezinhos sem causa, os ecochatos de verdade e outros babacas).

      .

      Eu, por exemplo, faço muito dessas ações de "ecochato" que você faz:

      * Eu separo papel, plástico, metal e vidro;

      * Eu picoto o papel antes de jogar no lixo (embora meus pais digam que isso não presta);

      * Eu descarto pilhas e baterias em local apropriado;

      * Eu apago a luz de aposento em que não tem ninguém e desligo TV quando ninguém está assistindo;

      * Uso monitor de LCD e programo para aparecer proteção de tela depois de 2 minutos e para desligar depois de 10 minutos sem uso;

      * Minha família trocou todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes (ou de led);

      * Quando eu lavo prato, talheres, panela e outras coisas, eu não abro a torneira no máximo;

      * Deixo a torneira fechada quando eu escovo os dentes ou faço a barba;

      * Só uso o chuveiro na posição inverno quando está muito frio mesmo, caso contrário deixo na posição intermediária;

      * Eu vou pro trabalho, ou estudar, de ônibus (emite menos gás carbônico e faz com que o trânsito fique um pouco menos pior).

      .

      Tomar essas atitudes de "ecochatos" que eu e você tomamos tem uma serventia INFINITAMENTE MAIOR do que essa pseudopreocupação ambiental que é a Hora do Planeta.

  • Hora do Planeta é o Cansei ecológico.

    • Pow, comparação perfeita! Eu acho que não tem nada pior do que aquelas passeatas do "Cansei" ou os "Basta" vai todo mundo passeando pela rua com suas camisetas de protesto pela paz, preferencialmente brancas. Atrapalhando o trânsito e no fim se realiza um culto ecumênico e soltam pombas brancas ou balões, esse detalhe fica ao gosto do freguês.

  • Eduardo Rocha

    Vamos ser honestos é muito mais fácil conseguir atenção por uma causa bonita do que por uma causa lógica.

    1) A sacola plástica é ruim? Que os mercados ofereçam uma sacola ecologica paga. Mas ai NINGUÉM quer. O que vem a provar que querem salvar o mundo mas com o dinheiro dos outros e sem fazer NENHUM sacrifício.

    2) A sacolinha de plástico não vai acabar. Uns 99% das residencias as usam no banheiro e para recolher lixo. Se acabar a do mercado vai aumentar a produção para que, ao invés de usar a do mercado a pessoa COMPRE. Se nao for de plástico será feita de que? Ou seá que vai acabar a produção de lixo nas residencias??

    Só por isto que vai ai em cima, qual empresa compraria esta briga? É muito mais fácil e POLITICAMENTE CORRETO dizer que as sacolas fazem mal ao planeta do que dizer o que vai acima e compra uma puta briga com uma turma muito barulhenta, inúteis, mas muito barulhenta e capaz de arruinar uma empresa.

  • dberlezi

    Eu acho essa idéia da Hora do Planeta uma EXCELENTE idéia. Cardoso, se você não partilha desse pensamento, só digo uma coisa: dane-se! Não só vou acompanhar o movimento desligando todas as luzes e aparelhos daqui de casa, como já estou preparando a minha participação para este momento, que consiste na seguinte: jantarei um pacote de fandangos acompanhado de um club social, servidos juntamente com dois pets de 600 ml de coca-cola, enquanto assisto um episódio de Arquivo X no notebook (usando a bateria – claro que vou ter que recarregar depois). Quanto à iluminação, vou usar minha lanterna portátil, que só precisa de 6 pilhas grandes para funcionar. Posteriormente, irei aproveitar como sobremesa uma boa caixa de chocolates Nestle com suas três embalagens a serem vencidas até chegar aos bombons propriamente ditos, os quais devem ser descascados um a um. Dessa forma, creio que terei colaborado com o planeta, deixando de consumir seus recursos naturais de forma irracional, durante este período (eu ficarei de consciência limpa. Você, não!).

    Como não sou de ferro, logo após irei sair um pouco de casa, em meu carro flex, que abasteço só com gasolina (que custa menos, mas rende mais que o álcool) usando o ar-condicionado, com janelas fechadas, evitando dessa forma que a aero-dinâmica do veículo seja prejudicada, o que aumenta o desperdício de combustível.

    EU TENHO CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA. Conseguiu aprender alguma coisa, "Sr Lâmpada incandescente"?

    • E você vai comprar tudo isso com uma ecobag, não é mesmo? :)

    • hahahahahahahahhaha

    • Pedro

      A gasolina não é renovável. Os hidrocarbonetos estavam abaixo da Terra a milhões de anos e você os liberou novamente a atmosfera, contribuindo para o aquecimento global. Os carbonos do etanol já estavam circulando na atmosfera e foram absorvidos pela cana-de-açúcar durante a fotossíntese. Você não sabe nada sob poluição, energia e talvez qualquer coisa realmente útil. Por que não se mata?

      • E você não entende nada sobre sarcasmo, né?

      • dberlezi

        Não posso me matar. Se eu fizer isso, ou serei sepultado e contaminarei lençóis freáticos, ou serei cremado e poluirei a atmosfera ou meu corpo será conservado em formol, que não é a substância mais "ambientalmente amigável do mundo". Então, de qualquer forma sou nocivo ao meio ambiente.

        Bom, em todo o caso, Pedro, você pode demonstrar pessoalmente como ser convertido em purpurina após o falecimento.

        Cardoso: quem sabe não sai um post sobre a eficiência das "fontes alternativas". Tenho quase certeza que publicando informações reais sobre esses geradores, muitos ecologistas vão querer a tua caveira. Sou a favor (totalmente) de energia alternativa, mas não largo mão da minha boa e velha Itaipu. Além disso, uma usina nuclear aqui perto de casa ia ser uma mão na roda.

  • Eu concordo principalmente com a questão dos ecobags, que ao meu ver não tem nada de novo é a velha sacola de feira que as avós da gente usavam, eu acho que no fim das contas as pessoas acabam usando os sacos plásticos de compras para descartar o lixo, se elas não os utilizam, acabam comprando sacos plásticos para descartar o lixo. Eu acredito que rever o modo como as pessoas consomem é uma maneira de mudar de atitude, mas não é as pessoas deixando de usar energia ou qualquer outro tipo de recursos, mas utilizá-los de maneira inteligente. E eu concordo que a troca da tv e monitores com tubos por telas de LED ou LCD, sejam muito mais eficientes do que a hora do planeta, assim como trocar seu carro 2.0 por um que seja 1.0 . Ou quem sabe até brigar mais por transporte públicos de qualidade.

  • Pingback: A Hora do Planeta « Ununerdium()

  • sol

    Texto muito bom, uma ironia fina.

    Participar da hora do Planeta até é bom, mas até já falaram que tem que fazer xixi na plantinha da sala pra evitar de dar a descarga e "adubar" a coitadinha…

    Uma hora por ano…quantas horas tem o ano todo?

    • Que nojo!!

      • dberlezi

        Me surpreende que não recomendaram fazer o número 2 na plantinha!

        • sol

          Já vi um vídeo de um cara "adubando com o número 2" uma plantinha de um vaso num shopping movimentando…um eco-chato cagão.

  • will walbr

    É mesmo uma pena que tudo possa ser visto de várias perspectivas, o que faz com que toda essa balela de pró e contra seja meramente circunstancial e irrelevante…

    No final, tanto faz como tanto fez.

  • O negócio é você fazer o que acha certo, cabe a você decidir o que quer!!!

  • Eu concordo, em termos.

    Fato: George Carlin estava certo. Outro fato: eco-chatos existem e disseminam informações – e impressões – erradas. Mas outro fato: gestos como a Hora do Planeta tem um grande potencial de conscientização. Afinal de contas, o eco-chato pode ter alguma atividade cerebral, e ao apagar as luzes e não ter o que fazer, ler um livro sobre e entender o que acontece. E talvez – mas eu sou sonhadora, fazer o quê – levar esse eco-chato, agora esclarecido e não mais um chato, a fazer as coisas certas, aquelas que a gente até evita lembrar que existem pra não acordar os "subversivos". Porque se les acordam, adeus mundinho feliz que temos.

    Plus, 1 hora de energia desligada faz um bem danado pro bolso, na hora de pagar a conta de luz.

    Mas enfim, dizia o sábio: cada um com seu cada um e vamos deixar o cada um dos outros.

    • jrventurim

      Ler no escuro?

      • Conhece um dispositivo tecnológico super avançado chamado VELA? Achei que o #fail de Itaipu(ou Furnas, ou whatever) tinha apresentado essa maravilha do mundo moderno pra todos.

  • Minha opnião sobre isso é que revolução de sofá não funciona… Se querem realmente mudar o mundo das duas uma:

    – Pegue as armas e faça uma revolução armada (#ironia) ou

    – Estude pra cacete e invente algo que realmente resolva o problema.

  • ora essas, e eucomisso???!

    abçs fuiz!

  • rafael

    Infelizmente você não entende a mensagem de campanhas como a Hora do Planeta e entende muito menos George Carlin.

    • Aham. OK, Cláudia. Senta lá então.

  • Pedro Júnior

    Não tenho um compromisso com escrita correta, sou só um "leigo" que acompanha o blog, quem tem de escrever certo é o blogueiro e demais pessoas que se sintam no dever.

    Só quis dizer que 1% das pessoas que se importam com a natureza são "ecochatos"… Tem muit, mas MUITA, gente por ai como eu…

    Eu não sou um echochato, não sou radical, não adotarei um animal de estimação e não me abraçarei em arvores…

    Eu trabalho em um escritório, a gente passou a não amassar mais papel, utilizar a impressora no modo "economico" de tinta, utilizar papel reciclado, comprar de fornecedores com iso 14000…

    São pequenos sacrificios, aliás não são nem um sacrificio, são só aspectos que mudaram, que não torna uma pessoa "ecochata" e que a torna mais conciente quanto a saude do planeta.

    A hora do planeta é um viral, serve para chamar atenção das pessoas, se a cada ano mais mil ou dez mil pessoas aderirem a pequenas causas tipo as que estamos aplicando no meu escritório é o suficiente, esse é o objetivo, vocês não entenderam a hora do planeta…

    Não é para ser consciente por uma hora e não ser pelo resto do ano, é para captar pessoas que tenham a vontade que eu tive, como eu falei, com pequenas pesquisas no google se descobre muitas coisas bem simples de se fazer em casa para melhorar…

    Lamento se isso lhes parece "não inteligente"…

    ALIÁS vocês nem conseguiram ler o texto, param no "selebridades", não vou grandezas de inteligencia com vocês…

  • Pedro Júnior

    (complementando)

    ALIÁS vocês nem conseguiram ler o texto, param no “selebridades”, não vou discutir grandezas de inteligencia com vocês…

    • Renato

      vc parece estar "serto".

  • Marcio

    Nussaaa..

    Essa campanha é de incentivo, uma hora não resolverá o problema "claro", mas é o começo de uma campanha a longo prazo de conscientização. Lóóógico que o problema é muito maior. O importante é que a dicussão está ai, prova de que a campanha funcionou.

    Quem quiser apoia e quem quiser não apoia, a consciência é de cada um para os que tem…

    • jrventurim

      "Lóóógico" que ter consciência não significa ter inteligência. Nada adianta ter "consciência", de boas intenções o inferno está cheio.

  • Eduardo

    Faço uma proposta a quem quer ajudar o mundo, ao invés de apagar a luz por uma hora, sugiro deixar o carro duas vezes por mês. Para os eco-chatos, 10 dias.

    Antes disto, estão é de conversa fiada esperando que os OUTROS façam o que eles mesmo não fazem.

  • Pingback: Goronah » Apagar a luz é fácil, difícil é jogar a lata no lixo()

  • Tentar salvar o planeta é bobagem, diz criador da Teoria de Gaia | Inovação Tecnológica – http://bit.ly/aREVRj

    "'Tentar salvar o planeta é bobagem, porque não podemos fazer isso. Se for salva, a Terra vai se salvar sozinha, que é o que sempre fez. A coisa mais sensível a se fazer é aproveitar a vida enquanto podemos', afirmou (James) Lovelock em entrevista à BBC."

    • Aproveitar, sim. Mas sempre respeitando os limites – vovó dizia, respeito é bom, bonito e todo mundo gosta. Até a bolinha azul. A hora do planeta era mais um ato símbólico, uma horinha – solene – da sua vida pra dizer "hey, Terra, eu respeito você". Sim, o respeito deve ser exercitado todos os dias, em todas as ocasiões. Mas participar de uma ou outra solenidade respeitosa não mata ninguém. A não ser que sejamos todos trolls risonhos e límpidos que não sabem cantar o hino nacional – aqueles que dançam e fazem gracinha na hora da solenidade (olha a palavra aí de novo) de entoar a canção da pátria.

      Que bom que não sou um troll. E você?

  • Pingback: Apagar a luz é fácil, difícil é jogar a lata no lixo- Global Garbage()

  • Léo

    Primeiramente concordo em alguns pontos;

    Principalmente quanto ao radicalismo dos ecochatos. Radicalismo nunca levou a nada, veja a galera do titio Bin Laden para provar isso… E temos isso na historia: Igreja, União Soviética, PT, etc…

    Mas do que adianta você prezar contra e no final virar mais um radical "do-contra" só porque não gosta dos ecochatos… Acabou virando mais um deles.

    Infelizmente é assim que as coisas acontecem, você não gosta de algo e vira radical do outro lado, aí esse grupo cresce, só faz merda e nasce um "anti-radical" do outro lado e a historia se reinicia.

  • Thiago

    Vc poderia citar a fonte das informações sobre o impacto do reflorestamento na velocidade dos ventos e o fim da camada de ozônio. Para fins de pesquisa.

    Obrigado

    • Google é seu amigo.

      • Sim, o Google é amigo de todos nós, mas é sempre bom apontar pelo menos um link tirado de lá. Só pra dizer "eu também usei o Google e não tirei nada do que escrevi da minha imaginação fértil". O ônus da prova costuma ser de quem revela determinada informação. Você postou, logo não adianta mandar todos ao Google; você precisa fornecer bases. Mesmo que você acredite que esses dados são óbvios.

      • Thiago

        O mesmo google aponta dados contraditórios aos que você publicou, Cardoso. Além do Google, estudo em conjunto de pesquisadores da Universidade Columbia, NASA (que vc tanto preza), Universidade de Lagos e Universidade de Buenos Aires dizem exatamente o contrário sobre a questão do "buraco de ozônio". Estudo publicado no fim de 2008. Esse mesmo grupo publicou estudo em junho de 2009 sobre o impacto das mudanças climáticas no meio urbano, o chamado relatório ARC3 é de fácil acesso e talvez você ache no google.

        Até a Wikipedia (fonte tão confiável quanto o Google, para quem assim pesquisa.) publicou algo contrário aos seus dados fantásticos. A Wikipedia também é amiga?

        A discussão livre de ideias me pareceu algo que sempre apreciável para você, pelo que acompanho do seu twitter e do seu blog. Mas recorrer à ironia por falta de dados não cola, chefe!

        • Então basicamente você achou um estudo contrariando o que eu falei então os estudos que EU li estão errados? OK, desconsidere os dados da NASA que mostram como na última década o crescimento do buraco do ozônio foi zerado – http://ozonewatch.gsfc.nasa.gov/

          Muito boa a sua lógica.

          PS: Google não é fonte Google é ferramenta, lamento que você esteja desinformado a esse ponto.

        • Thiago

          Cardoso, então já que você sabe A FONTE aprenda a ler. O fenômeno chamado "buraco de ozônio", é intermitente. Acontece todo ano. Você poderá checar essa mesma página em agosto e verá que voltou.

          As pesquisas na área da camada de ozônio já não estão mais voltadas para o buraco que se abre e se fecha todo ano, mas para a perda no volume de ozônio na estratosfera.

          Está longe de ser considerado como algo que "morreu sozinho". E de onde você tirou que na última década o fenômeno foi zerado se em TODOS os anos da última década tivemos a repetição do fenômeno e se a quantidade de ozônio na estratosfera diminuiu de 225 DU em 1979 para 106 DU em 2009 ??

          Então você sabe pesquisar e sabe diferenciar fonte de ferramenta, mas sabe ler até o fim?

          Talvez seja hora de aprender.

  • Fenyang

    Cara, as turbinas eólicas não fazem quase barulho algum. Ja cheguei perto não de uma mas várias em vária fazendas eólicas.

    O ÚNICO barulho que se escuta é de quando as pás estão se ajustando pra captar alguma mudança no vento. Dura uns 5s.

    Eco chatos são um porre, mas pior ainda são os anti-eco chatos. Principalmente os mal informados.

    • Aham. Tá bom. Ecochatos agora resolveram dar uma de mentirosos, pelo visto.

      • Fenyang

        Não é ecochato não. Trabalho com eficiência energética e sistemas híbridos.

        Eventualmente também lido com energia eólica e tive a oportunidade de visitar algumas fazendas em diferentes países.

        Esse vídeo foi filmado por mim. Fazenda eólica de Black Law, capacidade de aproximadamente 100MW. Infelizmente não mostra que a parte de baixo é utilizada como pasto de ovelhas e plantio. É bem legal.

        http://www.youtube.com/watch?v=rmllVARsGTI

        A opinião no texto é válida. O problema é o tanto de informação errada. O google muitas vezes não é seu amigo.

        Mas é verdade, a tentativa de simplificar acaba fazendo tanto eco chatos como simplesmente chatos falarem besteira. E muita.

  • Felipe

    Cardoso,

    O seu blog geralmente tem um conteúdo interessante. Entendo que nesse post a intenção é causar frisson, mas vamos pelo menos observar o embasamento dos "fatos" que você apresenta:

    "Buraco do Ozônio: Fechou. Iria destruir o mundo, acabou morrendo sozinho. Culpa? Aquecimento Global. Durma com um barulho desses."

    De onde veio isso? Tá maluco? Favor ler, pelo menos, a wikipedia!
    http://en.wikipedia.org/wiki/Ozone_hole#Ozone_dep

    Ou então interprete mais cuidadosamente o site da NASA.

    Quanto às turbinas eólicas, geram ruído se posicionadas incorretamente, além disso, existem mecanismos que conseguem facilmente suprimir o ruído. Nem quem trabalha com turbinas pode te dar uma opinião contrária às suas "fontes" (google)? "Matam pássaros e morcegos" – janelas de vidro matam mais pássaros e morcegos do que uma turbina eólica.

    Protesto contra a hora do planeta: infantil. Vai acender lâmpada incandescente? Que tal já se já fosse logo escrevendo um artigo melhorzinho para a hora do planeta do ano que vem?

  • Eric

    Pesquisem no Google sobre os artigos do profº Luiz Carlos Molion. Que entre outras coisas, mostra a verdade sobre assuntos polêmicos, como aquecimento global, co2, camada de ozônio, entre outras coisas que os ecochatos ficam dizerndo que o ser humano é culpado disso, culpado daquilo e que os Al Gore da vida só estão interessados encher os seus seus bolsos de dinheiro, pregando o fim do mundo.

    Inclusive, só a efeito de curiosidade sou completamente a favor de usinas nucleares, carros de passeio a Diesel(nada de bioecochatoDiesel), que se acabe com ônibus urbanos tradicionais e se faça metrôs e trens de trilhos elevados e que o transporte de cargas seja feito de trem e navio.

    E quanto a Wikipedia, tirando a parte de entretenimento e alguma coisa de ciência e tecnologia, o resto dos artigos são no mínimo duvidosos.

  • oi. usei este seu post sobre a hora do planeta no meu, aqui: http://supercarrinho.blogspot.com
    um abraço, obrigada pelo debate