web metrics





220 milhões de anos de instinto materno versus um idiota com uma faca




video platformvideo managementvideo solutionsvideo player

Sarah McKinley é uma jovem bonita, de apenas 18 anos, mas vê-se em seu rosto que falta algo. Não há muita alegria em seus belos olhos verdes. Ela teve parte de sua juventude roubada pelo Destino.

Ela perdeu o marido para o câncer, na noite do Natal. Sarah tem agora que dividir a casa apenas com seu filho de 3 meses e todas as lembranças de um futuro que nunca viverá.

Como se não bastasse voltando do funeral de seu companheiro ela foi abordada por um estranho, que dizia ser vizinho, sugerindo que ela abrisse a porta para que… conversassem. Só que como toda moradora de cidade pequena –e Blanchard, Oklahoma só tem 7600 habitantes– Sarah é desconfiada, preferiu não deixar o estranho entrar.

Vendo que ali morava apenas uma jovem viúva de 18 anos e seu bebê. o estranho, que se chamava Justin Martin voltou até a casa, na virada do ano. Como todo criminoso é covarde, ele trouxe um cúmplice e uma faca de caça de 12 polegadas.

Os dois começaram a rondar, enquanto Sarah se refugiava com seu bebê. Os invasores tentavam abrir as portas, na esperança de alguma ter ficado destrancada. Nisso Sarah correu para o armário, pegou uma pistola e uma Winchester 12 de cano duplo. E o telefone.

Chamando a polícia, uma unidade foi enviada, mas no meio do nada, ninguém sabia quando chegariam. Por 20 minutos Sarah esperou. Ninguém sabe as idéias na mente dos dois bandidos, mas nada de bom poderia sair da mistura de dois canalhas, uma casa sem nenhum objeto de valor e uma jovem e bonita garota de 18 anos, sozinha com um bebê.

Não que isso passasse pela cabeça de Sarah. No momento ela só tinha uma preocupação: O bebê em seus braços, alimentando-se de uma mamadeira, inocente da crise à sua volta.

Na ligação Sarah diz:

“Eu tenho duas armas nas mãos, é OK se eu atirar se ele entrar pela porta?”

A atendente, obviamente treinada para proteger as vítimas, respondeu:

Eu não posso te dizer que você pode fazer isso, mas você faça o que tiver que fazer para proteger seu bebê

*click* – dentro de Sarah instintos mais antigos que qualquer civilização, mais antigos que nossa própria espécie entraram em ação. Não era mais uma jovem assustada que estava ali. Justin Martin estava prestes a enfrentar o animal mas perigoso que já existiu: Uma mãe acuada protegendo eu filhote.

Achando que seria um roubo simples, onde faturaria algumas dezenas de dólares, uma TV, um DVD e talvez um pouco de sexo lubrificado com lágrimas, o infeliz meteu o pé na porta e pulou o sofá que Sarah havia colocado como barricada, partindo em sua direção com a faca.

Foi o último gesto de uma vida inútil, pois naquele momento Sarah, nas palavras de George R.R. Martin olho para o Deus da Morte e disse: “Hoje Não”.

Puxando o gatilho ela pôs fim aos 24 anos de existência de um covarde. Com o peito cheio de chumbo Justin caiu no sofá e lá ficou.

O cúmplice, Dustin Louis Stewart, um covarde de 29 anos saiu correndo ao ouvir o tiro. Horas depois se entregou para a polícia, provavelmente pedindo proteção contra aquela fera loura que se recusou a ser vítima.

Ele agora responderá por tentativa de assalto E –a cereja do bolo- HOMICÍDIO, pois segundo as Leis locais se o sujeito participa de um assalto e uma morte resulta da ação, ele se torna cúmplice. Em Oklahoma isso significa pena de morte ou prisão perpétua.

Fontes: NewsOk, HP, via Twitter do Kevin Smith



Leia Também:

Sobre o Post

Este post foi escrito em 04/01/2012 às 8:48 pm

Está arquivado na(s) categoria(s) O Resto.

Você pode acompanhar os comentários via RSS 2.0.

Você pode fazer um comentário, ou trackback de seu próprio blog.



40 Respostas para “220 milhões de anos de instinto materno versus um idiota com uma faca”

  1. Foda demais!

  2. hahahahaha, que história sensacional! Eu que não sou pai nem nada, me emocionei.

    As leis brasileiras, além de serem cumpridas as já existentes, precisam evoluir um pouco ainda.

  3. Adorei a citação de George R. R. Martin!

  4. "Ele agora responderá por tentativa de assalto E –a cereja do bolo- HOMICÍDIO, pois segundo as Leis locais se o sujeito participa de um assalto e uma morte resulta da ação, ele se torna cúmplice."

    Temos que implementar isso aqui. Sério. Se o sujeito vai fazer merda e se dá mal, tem mesmo é que levar na fuça. E no outro lado também.

    No mais, foda. Mamãe urso total.

  5. São dois os instintos básicos do ser humano:

    1 – Não sentir dor;
    2 – Procriar.

    Todas as demais premissas instintivas derivam destes dois pontos.

    Quando, porém, uma ação instintiva nossa é tomada com base nos dois instintos básicos (no caso de fêmeas com filhotes: defender a cria E a si própria), o corpo responde muito mais rápida e eficientemente do que o normal.

    Bela história. Belo desfecho. E tomara que ela não seja acusada de nada. Legítima defesa pura.

  6. Jose Guimarães em 04/01/2012 às 11:04 pm

    eles dizem no fim da reportagem:

    "There are no plans to charge McKinley with a crime. – Our initial review of the case doesn't indicate she violated the law in any way, Walters said.".

    Fiquei pensando em casos e situações parecidas aqui no Brasil onde reagir, ferir ou matar levaria quem reagiu para a prisão caso o bandido fosse ao menos ferido.

  7. E a parte mais importante de todas:

    "Prosecutors said it was a clear-cut case of self-defense and McKinley will not be charged."

    Isso pode parecer óbvio, mas não aqui no Brasil, onde já tivemos alguns casos de legítima defesa em que as vítimas foram tachadas de assassinas

  8. Sorte desta mãe e desta criança por morarem num país sério. Aqui o bandido seria a vítima, a mãe seria presa e a criança seria entregue para familiares ou para adoção. E nos portais que exibissem a notícia, os típicos comentaristas de portais de notícias aplaudiriam a decisão da justiça de proteger a criança de uma louca que a mantinha na mesma casa que uma arma de fogo.

  9. Ai vem um monte de pulha no Brasil fazendo propaganda contra as armas LEGAIS e esquecendo, convenientemente, das ILEGAIS. O mais curioso é ver artista, que tem segurança particular ARMADO, fazer propaganda contra arma.

    Ela deu sorte de estar em Oklahoma e não estar no Brasil. Aqui ela seria presa por porte de arma. E, de quebra, um monte de marginal dos direitos humanos pediriam a prisão por assassinato.

  10. Final espetacular, Cardoso, com direito ao ditado dos Braavos e um imbecil pagando pelo o que o primeiro idiota fez!

  11. Alexsandro Percy em 05/01/2012 às 9:58 am

    Aqui no Brasil a mãe já estaria presa, o cumplice do panaca estaria na rua aguardadando o processo em liberdade e o bebê estaria disponível à adoção porque alguma psicoretardada entenderia que a mãe violou o ECA por ter causado sérios danos psicológicos ao bebê quando assustou-o com o disparo de uma arma de fogo.

  12. Se fosse no aqui, no Brasil, a mãe perderia a guarda da criança, iria presa por porte ilegal de arma e homicidio e o cumplice do assalto aida poderia processa-la por tentativa de homicidio……

  13. Pergunta para os juristas de plantão: Se fosse no Brasil ela seria presa ?

  14. O grande detalhe é que se fosse brasileira teria sido estuprada ou morta. Afinal, armas são "malignas" e "bom cidadão" não tem arma em casa. Essa visão imbecil tem que acabar aqui. A políica não é unipresente e o cidadão deve saber como se defender e como usar uma arma com segurança e de forma correta. O resto é balela de ongueiro imbecil,

  15. No Brasil a pessoa ia ter que pagar indenizacao para a familia do vagabundo

  16. Enquanto isso, na República das Bananas: http://www.expressomt.com.br/noticia.asp?cod=1256

  17. Enquanto lia o texto eu pensava: se fosse no Brasil a mulher seria acusada de homicídio e diriam que os assaltantes eram inocentes. Vou ler os comentários e vejo esse link. Só no Brasil mesmo.

  18. Falando no Martin, eu fiquei chateado com ele por quase cinco minutos quando descobri que aquele “hoje não” não está no livro. Mas dane-se: o diálogo é f*da o bastante na série!

  19. qual o nome do filho dela? John Connors?? rs

  20. Se fosse aqui a mulher já estaria na cadeia e o complice do bandido estaria solto, acusando-a de tentativa de homicídio, e a familia do morto estaria pedindo indenização.
    Parece que o estou vendo.
    Em países civilizados… como o meu – claro que nos anos 60, anos melhores – meu pai detonou os cornos de dois vagabundos (que mataram nossos dois cachorros para invadir) no pátio dos fundos de lá de casa, com seu Smith & Wesson 44 e ligou para polícia: "Tem dois mortos no meu pátio"
    Prontamente os presuntos foram atirados na caminhonete e o delegado apertou a mão do meu pai e disse: "Bom trabalho, um estava sendo procurado o outro tinha saído da cadeia uma semana antes."
    E foi tudo. Meu pai nem precisou fazer depoimento em delegacia nenhuma.
    Se fosse aqui…

  21. Só digo: Quê país é este, onde um homem não pode se defender contra criminosos?

  22. Ótimo texto Cardoso, mas certamente choverá (aqui e em qualquer lugar que apoie a atitude da mulher) um bando de defensores da vida que nunca tiveram as suas ameaçadas, mas o importante é que o vagabundo nunca mais incomodará outra pessoa "indefesa".

  23. E neste pais as leis sao feitas por criminosos para criminosos. O povo tem que aprender seu lugar, o de vitima, e vitima nao reage.

  24. E não se esqueça da presença o pessoalzinho dos direituzumanus que sempre aparece quando um bandido morre condenando a atitude a mulher.

  25. Todos os pais e mães deveriam dormir com uma quadrada carregada ao seu alcance… assim esses marginais filhos de puta pensariam 2x ao cair dentro de uma casa de família….

  26. Hélvio Mota em 11/01/2012 às 8:56 am

    Pois é, Dori. Mais ou menos como o pessoal que divulga no Twitter / Facebook / whatever a localização das blitzen da Lei Seca. Até o dia que tenham um parente morto por um motorista bêbado…
    Sarah McKinley virou minha heroína de infância. Tenho uma filha de 10 meses, estou me mudando para uma casa e gostaria muito de poder ter os 'equipamentos de segurança' de que ela dispunha, sem ter que me preocupar com as 'otoridades'.

  27. Segunda Emenda da Constituição dos Estados Unidos da América: "Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser impedido." – Enquanto a hipocrisia reinar no Brasil (talvez para sempre), não teremos uma emenda fundamental como essa na nossa deficiente Magna Carta.

  28. PQP!!!

  29. Fátima Tardelli em 13/01/2012 às 7:26 pm

    Lembra-se daquele cara que construiu uma arma com uma ratoeira para pegar o fdp que sempre invadia a casa dele para roubar? Pois é: os juristas ''puristas' de plantão tentariam dizer que a garota excedeu no seu direito á legítima defesa. Infelizmente, no Brasil, alguns juristas se apegam a alguns tecnicismos da lei e deixam de pensar no fim social da lei penal, que é dissuadir outros de cometerem crimes. Pessoalment falando, eu diria que, sendo mãe, se necessário para protegerrminha filha, faria qualquer coisa. E quando digo qualquer coisa, digo qualquer coisa que fosse necessária para proteger minha filha. E se tivesse que pagar alguma prna por isso, pagaria tranqüilamente. Não sem antescontratar um excelente penalista para me defender….

  30. Por isso o EUA é um país de primeiro mundo

  31. Vale lembrar que os brasileiros são cordiais e hospitaleiros, mas, apesar de terem leis melhores, os americanos são frios

    Oh wait, só tem brasileiro aqui, foi mal

  32. No Brasil essa mulher seria presa por homicidio, a criança seria entregue à adoção e ainda teria de pagar indenização à familia do bandido… Isso se não fosse presa sobre alguma acusação de porte ilegal de arma.

  33. Que historia. Isso mostra como é simples a vida nos complicamos ela. Matar quem merece morrer não deveria ser problema. Ele pediu e teve o que merecia.

  34. Subdesenvolvimento não é algo apenas econômico e social. É mental também.
    Sou total e completamente a favor de todo cidadão brasileiro, mentalmente capaz e com um pouco de inteligência, ter uma arma em sua casa.

  35. Meu avô costumava dizer que o Brasil já foi um país antes.

  36. Posso não ser dos EUA, sei que eles têm seus problemas, sua mania de querer dominar o mundo, etc, mas os EUA são, na minha opinião, o país que mais protege seus cidadãos. Eles não medem esforços para protegerem seus interesses. Queria que o Brasil fosse assim.

    Infelizmente sou um brasileiro que sente vergonha de ter nascido nesse solo.

  37. Aqui no Brasil, entidades de direitos humanos protestariam pela vida do bandido, ela seria perseguida e acusada pelo Min. Público e 10 anos depois o caso serviria de base para uma tese de mestrado em sociologia, defendida por um Leonardo Salamoto da vida, ilustrando a injustiça social e a luta de classes e obtendo a nota máxima de uma Marilena Chauí ou de um Emir Sader.

  38. Muito loka a história hein ..

  39. Nos anos 60, não existia essa shit de "direitos humanos" para criminosos, vagabundos, assassinos, estupradores, ladrões, sequestradores e assaltantes lá na minha terra. Hoje sim, já que a esquerda está no poder.

  40. Aqui no Brasil, quem seria presa era ela! É… Este é o país em que estamos…

Regras: Comentários de clones serão apagados. Caso seu comentário contenha ofensas pessoais, textos todos em caixa-alta, palavrões desnecessários ou miguxês você poderá ter seu email e IP expostos publicamente. Anonimato não é um direito, é um privilégio. Use-o bem ou perca-o. Se quiser me xingar, seja criativo, assim há uma leve chance de seu comentário ser aprovado. Do contrário não gaste seu tempo.
As opiniões expostas nos comentários não refletem as do autor do blog, algumas vezes mal refletem as do autor do comentário.

Faça seu comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Quem é Cardoso

Para saber mais sobre o autor deste blog, visite este link. Para enviar uma mensagem, clique aqui. Para anunciar, clique aqui.




Hey, você aí...

Colabore com o blog que você conhece e ama. Ou então com o contraditorium. Demonstre seu afeto da forma que todo mundo entende: Com dinheiro. Ei, se até Deus precisa dele, quem sou eu para discordar? Escolha sua doação:
Valor do Agrado

Jabá

O Contraditorium está hospedado no Bluehost, com transferência mensal ilimitada, espaço em disco ilimitado, domínios ilimitados, infinitos subdomínios, PHP, Ruby on Rails e todas as funcionalidades que você puder pensar. Quanto? US$6,95 / mês, quinze Reau, menos que uma pizza. Conheça o Bluehost, clique no link abaixo.